sábado, junho 17, 2017

Assis: ícones medievais

O Retiro de diários gráficos em Assis começou com a cópia de um ícone medieval:


A arte aprende-se pouco a pouco e parte por parte. Para a arte da pintura é fundamental a composição das cores, depois a atenção à sua mistura. Preocupa-te com isso e sê exacto até aos limites extremos, para que aquilo que pintares seja livremente ornamentado e espontaneamente criado. Depois, a prática da arte ser-te-á facilitada pela experiência de muitos artífices de talento.
Tratadística Medieval - Padre Teófilo (séc. XII)

Na Idade Média, a preocupação do pintor era a construção das cores e a sua composição. O desenho quase não é alvo de pensamento - ele aprende-se com a experiência, isto é, com a prática.
A imagem criada obedecia a regras geométricas específicas. Só a cor é que tinha mais liberdade. Era mais importante o que ela representava do que a sua forma. Mais importante que representar um Cristo próximo dos traços faciais que ele teria tido (tarefa mesmo impossível), era ter um "protótipo do que a imagem representa".
Engraçado como, tantos séculos depois, tudo isto continua a fazer sentido...


No último dia do Retiro de diários gráficos, fizemos outra cópia, mas agora da única representação feita em vida (e ao vivo, por observação) de São Francisco, identificado apenas como Fr Franciscvs:


Trata-se de um fresco, pintado no interior do Mosteiro Beneditino de Subiaco (perto de Roma), antes de 1224. Francisco foi duas vezes a Roma, pelo que faz bastante sentido que possa ter ficado hospedado neste mosteiro, tendo sido pintado por um dos monges beneditinos. 

No séc. XIII, as regras da Pintura na Idade Média ainda estavam bem definidas, mas aqui, a geometria circular dos ícones não existe. O original tem bastante cor, mas o exercício implicava deixá-lo apenas com a linha preta. A cor, essa, ficaria para colocar depois, com a influência de vida franciscana...

Em Assis há muitas imagens de São Francisco por todo o lado. Esta, para mim a mais bonita de todas, a mais humana e cativante, curiosamente, não se encontra em lado nenhum.


Todos os retiros de diários gráficos são especiais, mas este em Assis foi verdadeiramente inigualável.
Venha o próximo!

3 comentários:

Ana Crispim disse...

Mário, tenho seguido todas as tuas publicações e sabes que para além dos desenhos ler o que escreves, para mim é reviver todos os momentos. Obrigada

Miguel Antunes disse...

Seculo XII? tao actual!!

As cores, as cores!!! tens de me dizer o nome das aguarelas (japonesas nao e?)


Grande abraco!!!

L.Frasco disse...

Mário, terá sido sem dúvida especial este retiro! A avaliar pelos desenhos e, principalmente, pelo que escreves.
Obrigado por nos levares contigo nestes posts tão especiais!